Nos últimos dias acompanhei a discussão sobre vários estados dos EUA abolirem a escrita cursiva (também conhecida como “letra de mão”).

Bem, primeiro nos vale o fato de que abolir não significa – neste caso – deixar de ensinar. O que realmente aconteceu foi abolir a exigência do ensino cursivo. Ou seja, as escolas não serão obrigadas a ensinar. E se quiser ensinar, nem precisa se focar tanto assim. Isso mostra claramente onde os EUA preferem focar: nas tecnologias em sala de aula.

Afinal, qual o sentido de usar papel e lápis para escrever, quando se pode ensinar uma criança a digitar várias palavras no menor tempo possivel? Será que a criança aprenderá menos se ela não souber dominar, de modo razoavel, a arte de escrever a mão? A resposta é: não. O aprendizado é o mesmo, o conhecimento será transmitido, mas, obviamente, um detalhe importante estará sendo deixado de lado. Isso torna a aprendizagem quase completa, ao meu ver.

Vamos deixar claro o seguinte: nos EUA existe uma dicotomia entre ler e escrever. A criança aprende primeiro a ler e depois a escrever. Logo, se ela aprender a ler primeiro, vale mais a pena ensinar a escrever através da letra imprensa (a letra de forma). É o tipo de letra que ela vê em jornais, revistas e – claro – internet.

Já no Brasil – ainda bem – essa dicotomia não existe. A criança aprende a ler e a escrever quase que ao mesmo tempo. Nosso metodo de ensino mostra as várias maneiras de como as letras podem ser reproduzidas. Isso, com toda certeza, faz com que a aprendizagem seja mais rica. Hoje o foco não está na caligrafia, mas sim na compreensão dos textos – e nas formas dos textos – que vemos nos dia a dia.

(Só para curiosidade: quando criança eu cansei de usar caderno de caligrafia e até hoje minha letra de mão é horrivel. Prefiro escrever em letra de forma, mais legivel)

Talvez você possa ficar preocupado e achar que o Brasil vai querer macaquear a mesma ideia. Eu ficaria tranquilo quanto a isso. o principal fato que me deixa tranquilo é que primeiramente as tecnologias não estão presentes nas escolas brasileiras tal qual acontece nos EUA. E o segundo fato é que o professor pode ter todos os instrumentos necessários a mão para que haja uma boa aula, mas se o aluno não estiver afim de aprender, não vai aprender.

No caso brasileiro, nossa preocupação tem que ser repensar esse ensino que temos, ao invés de pensar se teremos ou não computadores para cada aluno.

ESCRITO POR Wagner Brito

Professor de Geografia, blogueiro, podcaster, tricolor paulista. Se orgulha de saber fazer um excelente café. Não lembra direito porque criou este blog e vive insatisfeito com o layout. Normal, não se espante.

24 Comentários

Mitch

Assino embaixo. Só que acabei lembrando de que no Japão, um país extremamente tecnológico, a caligrafia é reverenciada como arte. Questões culturais acabam influenciando em várias esferas sociais e políticas. Uma pena.

Reply
Mario

Na China também. Principalmente porque é uma caligrafia muito difícil de ser dominada por causa dos milhares e milhares de kanjis.

Aliás, tava lendo mangá (Hikaru no Go) e numa passagem o personagem principal se impressiona por ver uma caligrafia boa feita por um moleque de dezesseis anos. Daí já dá pra tirar como é difícil dominar a escrita oriental.

Reply
Mario

Sim, são e sim, se passa. Eu só tava traçando uma relação entre as escritas orientais

Ficou ambíguo mesmo, desculpa :P

Reply
PinkPaulaS

Letra de mão ou cursiva é uma arte que poucos dominam.
Uma pena essascrianças não terem acesso à ela.

Reply
Gilgamesh

Escrever bonito à mão (com letra de forma ou não) é uma arte mesmo, mas acho que hoje em dia é desnecessário, já que as crianças já aprendem a lidar com tecnologia antes de aprender a ler e a escrever. Esse método norte-americano não tá errado não.
Agora quanto às culturas orientais que têm aqueles zilhões de ideogramas, a coisa muda de figura, pois só escrevendo exaustivamente é que eles aprendem o significado de cada um dos kanjis. Não tem não comparação ao alfabeto romano ou qualquer outro do mundo ocidental.

Reply
Jenny

Sou professora das primeiras series, fase em que se ensina a letra cursiva, e vejo como é dificil para eles aprenderem as normas da lingua portuguesa e códigos linguisticos, juntar com a interpretação ou formação de textos e aguentarem a pressão dos pais cobrando uma letra bonita. Não sou contra o ensino desse estilo de escrita, mas desde que não atraplhe o aprendizado… tomei uma decisão esse não vai ser o meu foco.

Reply
hellen

e vai ser foco mesmo ja persebi o o professora a senhora pode entao me deser como sera escrever a letra mas deficio a y eu sou criança nao comsigo faser isso me enssina vai porfavor :(

Reply
hellen

eu aprendi mt com esse site eu eu …. nem sei oque diser o site e otimo so sei diser uma palafra que o site mas bacana para se aprendes a escreverr de cualquer maneira e bom

Reply
mariane

jente letra de mao e mt xata nao sei como essa criatura dessa tal de hellen consegue faser tudo isso mas so sei que e xato

Reply
Jonai

Em muitos países as pessoas simplesmente nao entendem essas letras e fazem uma cara bem esquisita quando veem. Estudo em Melbourne e meus colegas vietnamitas, chineses e japoneses nao fazem idea de que letra seja quando mostro pra eles, minha professora q eh da India ainda corrige-as nas minha provas affff

Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *