Ultimamente eu venho me perdendo e atrasando algumas tarefas por conta de uma situação corriqueira de quem atravessa algumas horas na internet: a viagem dos vídeos.

Algumas pessoas acabam viajando nas pesquisas do google. Eu mesmo sou um fã da wikipedia e fico pulando de artigo em artigo, principalmente sobre línguas e história de formação dos países. Só que ultimamente as viagens no youtube têm sido constantes.

Começo sempre com uma música e os vídeos sugeridos funcionam que é uma beleza. Um clipe puxa o outro, você descobre um novo artista, assiste a uma palestra e de repente está observando técnicas de pesca do Camboja.

Muito disso se deve à melhora das conexões e carregamento do próprio site. Se antes assistir a um vídeo de dois minutos no youtube era um sacrifício, hoje você passa de uma hora facilmente. Inclusive para isso há uma série de documentários disponíveis distribuídos pelos canais. Cada vez mais tenho experimentado menos travamentos e inclusive há agora a opção de se assistir com legendas, o que é uma mão na roda na hora de aprender uma língua.

Aprendizado é outra possibilidade de uso da ferramenta que se tornou um depósito de conteúdo  sobre tudo. Desde como dar nó em uma gravata a praticar esperanto enquanto assiste a um tutorial de como trocar as cordas de uma harpa. Quer ver como seria cozinhar aquela receita legal que você achou na internet? No youtube você encontra pessoas colocando em prática. Por falar em comida, outro vício visual adquirido é assistir horas e horas de street food pelo mundo. É muito curioso e encantador as comidas de rua dos países. Praticamente um turismo sem sair do lugar.

Bem, agora vou andando que tem uma vídeo muito edificante me aguardando.


 

Até amanhã.