– Desliga esse telefone!

– E porque eu deveria?

– você não vai fazer essa babaquice de novo. Sempre a mesma coisa. Ela faz merda e você no fim das contas que acaba pedindo desculpas.

– Não é bem assim… Na verdade, pode ter acontecido algum erro de interpretação e ela confundiu o que eu quis dizer.

– Ela é débil mental por acaso? Ou algum tipo de analfabeta funcional? Você disse que ia estudar com o pessoal da faculdade. A culpa é sua por ser o único homem da sala?

– Talvez se eu escolhesse engenharia ao invés de pedagogia…

– Cala essa boca! Olha a maluquice que você está dizendo! E por acaso você é um amante dos números?

– Não, talvez por isso mesmo, eu seja melhor com as palavras e posso tentar amenizar as coisas com uma conversa franca…

– Puta merda! E quando você a pegou aos amassos com o Serginho, qual foi o papo legal que ela te deu? Só chifres seu viadinho!

– Ah, mas foi só uma recaída… Eu a amo tanto…

– E ela também te ama, porque você é um CAPACHO IDIOTA!

– Independente do que você disser, eu vou ligar pra ela. Não posso perdê-la.

– Cara, o mundo tá cheio de mulher e você se ferrando por conta dessa vagabunda sem sentimentos que só te faz sofrer?

– Mas ela é o que procuro nas mulheres…

– Claro, um ideal de pureza e santidade.

– Ser irônico não ajuda em nada.

– Mas pelo menos é uma tentativa desesperada de tentar fazer você enxergar a realidade.

– Não adianta, cérebro. Eu vou ligar agora.

– Tá bom, coração imbecil, faça o que achar melhor, mas depois quem aguenta a porra da dor de cabeça sou eu.


Até amanhã.

Publicado originalmente em Conte Conosco.