Descalçar depois de um dia de trabalho.

Sentir a carícia das águas num banho após um dia inteiro de calor.

O ônibus que chega junto com você ao ponto.

Churros fresquinhos.

Quando você acha dez reais no bolso de uma calça suja.

O sinal está sempre verde.

Jogar conversa fora.

Cheiro de livro novo.

Aquela gargalhada inesperada.

Chorar de alegria.

Transpor um obstáculo.

Reunir-se com amigos.

Um cobertor fofinho no frio.

Promoção do seu doce favorito.

Ouvir um agradecimento.

Presentear alguém.

Brigadeiro antes do parabéns.

Amigos desconhecidos que você nunca viu mais do que foto.

Fazer alguém feliz.

Acordar atrasado e lembrar que está de folga.

Segurar uma lágrima alheia.

Brincar.

Por mais que no fim só tenhamos dado importância aos grandes acontecimentos, as pequenas coisas que nos move, nos molda, nos encaixa nas engrenagens da vida. Os prazeres diminutos são aquelas peças intercambiáveis que fazem da rotina mais leve, palatável. Permita-se algumas vezes.

Até amanhã.