Férias (ou quase!) = filme….então vamos a mais um (outro) comentário (ou visão) sobre um filme….”Her” (“Ela”).

Foi lançado nesse ano e mostra a vida de Theodore, um escritor de cartões para festividades (e solitário). Bom até aí, tudo bem…

Só que a vida dele se passa “num multiuniverso” onde a sociedade vive grande parte por meio de relações sociais virtuais. O último lançamento dessa sociedade é um sistema operacional “amiguxo”. Como Theodore tem grandes problemas de relacionamentos reais, resolve adotar esse sistema operacional inteligente (que tem uma voz feminina – escolhida por ele –  e vai se adaptando as reações de Theodore).

Bom, é isso o filme! Mas o que fiquei pensando é como hoje as pessoas tem mais amigos virtuais do que reais. Não sei se é “coisa da nova geração” mas acho isso muito estranho. Como você é amigo (e confia de olhos fechados) em uma pessoa que nunca viu pessoalmente? Que sua amizade não foi iniciada pelo olho no olho, presencialmente, entre diálogos? Acho essa vida virtual muito estranha….essas coisas de “amiguxos do coração”….

Talvez seja porque tenho amigos que foram “feitos” da forma “tradicional”, e se hoje estão longe pelas mudanças na vida de cada um, a rede social virtual favorece a continuidade dessa amizade. Não vou negar que tenho uns amigos virtuais, que fiz por meio do meu noivo (que aliás é viciado nessa coisa virtual!)…mas continuo achando tudo muito estranho! Porque ao invés de você dar atenção para as pessoas ao seu redor, aproveitar dos encontros, a grande maioria hoje prefere confiar e conversar com uma pessoa que supostamente está falando a verdade…daí o link com o filme…

E não me venha com “sou tímido e só me solto escrevendo” porque sou extremamente tímida e consegui fazer amigos reais minha vida inteira!

Essa mudança de relações sociais acaba tornando tudo muito efêmero e rápido. Se hoje ele é seu “superamigo” amanhã já não é mais e tá tudo bem, porque você tem mais 34.000 no seu perfil virtual. Se hoje você está caindo de amores pelo seu “amiguxo”, combina um encontro para se verem (e concretizarem o virtual), amanhã ele já está com outro (a) (ou talvez no mesmo instante em que está com você por estar o tempo todo conectado no mundo virtual!). Exatamente por isso acho esses comportamentos muito estranhos….

Bem, coisa “de gente velha”!!!