Lecionar não é uma tarefa fácil. E provavelmente nunca será, por mais que você domine o conteúdo. São várias variáveis que precisam ser pensadas e analisadas ao mesmo tempo: o conteúdo, a série, a capacidade da sala, os materiais disponíveis, o tempo da aula e assim vai.

Além de contar os outros fatores que influenciam, como o salario e a motivação profissional. E esses dois fatores estão influenciando demais no surgimento de novos professores no Brasil, seja no ensino básico até o ensino superior. A situação, meu amigo, está pior do que é noticiado nos jornais. Acredite em mim!

Então pode-se dizer que só está nessa profissão quem realmente gosta de lecionar, quem gosta de transmitir e construir conhecimentos através das interações sociais promovidas dentro da escola.

E não há nada mais gostoso do que lecionar para alunos realmente interessados. Quando interessados, o assunto começa simples e termina sempre em momento reflexivos, que pedem alguns momentos para pensar no que foi dito. Professores e alunos saem diferente de quando entraram. Realmente, muito bom.

Pena que esses momentos estão ficando menores. E fazem você pensar se é melhor trocar de profissão.

Até o dia em que você percebe a felicidade de uma aluna de 5º série ao ganhar um livro didática da sua série, mas voltado para o ensino médio. E ainda vem fazer perguntas sobre assuntos que estão no livro.

Nesses momentos eu penso que até vale a pena continuar na profissão. Pelo menos por enquanto.