Não é novidade para os que me conhecem que eu seja fascinado por marionetes. De qualquer gênero.

Até hoje sinto saudades da TV Colosso e do Roberval, o ladrão de chocolate. Me encanto com os Muppets, mas prefiro os Muppet babies. Vila Sésamo é bem legal, inclusive eu gostava de dar umas olhadas em Cocoricó. Não sei se essa parte minha, assim como muitas, ainda não cresceu e ainda vejo esse tipo de animação com encanto. Muito tem  a ver com as histórinhas que passavam, principalmente bíblicas ou de fábulas, na antiga TVE, TV Brasil etc. Eram historinhas bem montadas, dubladas e encenadas e eu me deleitava sempre que via.

Hoje em dia, tenho acompanhado duas marionetes interessantes, cada um a seu modo. Um é extremamente famoso, o outro também porém um pouquinho menos, no youtube. Se bem que o “menos” famoso é bem conhecido de muitos ouvites e podcasters.

O primeiro é o Marcelinho do Marcelinho lendo contos eróticos.

marcelinho cabelinho

Imagine quando você sai de casa, ou do quarto, e aquele seu primo/irmão pequeno entra no seu computador e começa a ler alguns contos eróticos.

A sacada é muito boa, mas Marcelinho acredita que ele não é um fantoche, inclusive já deu curso de como ser um fantoche de sucesso. Durante suas leituras ele exalta o eu lírico dos autores dos maravilhosos escritores dos contos que lê e sempre tem um tempo para ajeitar seu cabelinho. Ele é uma criação de Erik Gustavo e quem o costurou foi o Nigel Goodman.

O outro, não menos legal, é o Tutu o Barão de Minas do Vlog do tutu.

tutu o barão de minas

Esse tubarão maroto fala sobre a vida, o universo e tudo mais, além de comentar alguns videoclipes, trailers e mostrar o dom do canto que Netuno lhe deu. Aficcionado por cachaça e comer surfistas, Tutu é bem escrachado e tem ótimas sacadas que te fazem rir sem perceber. O Tutu é criação do Carlos Vivaqua e a pouco tempo tem um canal só para ele, conheça.

Não tenho um preferido, mas acabo assistindo mais o Tutu por me identificar mais com o perfil do peixe. Mas os dois valem muito à pena acompanhar.

Até amanhã.