caricatura Beto PatuxQuando era menino, ali mais-ou-menos no início da minha adolescência, eu decidi que ficaria rico. Teria uma casa grande e confortável, empregados, carros, faria viagens incontáveis pelo mundo afora.

Alguns poucos anos depois, descobri que 99% das pessoas que vivem desta forma chegaram a este patamar explorando gente simples, pagando a seus empregados salários injustos, utilizando de toda sorte de subterfúgios contábeis, etc.
Descobri logo cedo que eu NUNCA havia conhecido o 1% dos que chegaram à este STATUS de forma justa, limpa e idônea (bom, até hoje não conheço).

Resultado: decidi que iria trabalhar, fiz a ESCOLHA de ser feliz tendo um lar, uma consciência em paz e, se possível, graças ao meu suor e recebendo o pagamento por derramá-lo, teria algum conforto acima do que posso chamar de básico.

Aos 28 anos, graças ao caminho que trilhei, graças à educação (dura, rígida e corretiva) que recebi, graças às portas que se abriram e por ter aproveitado ALGUMAS delas, hoje eu sou um homem realizado.
Um lar, contas em dia, uma futura esposa fantástica. Simples, sem estravagâncias, sem injustiças em minhas mãos, sem sujeira sob meus pés.

Ser FELIZ sendo SIMPLES é uma ESCOLHA. A escolha de remar contra a maré, de ser feliz nas coisas simples, de não esperar que a vida seja um conto de fadas (fajuto), escolher dia após dia, que por mais que perder não seja agradável, faz parte da vida e devemos aprender.

Escolher ser feliz, sem tirar a felicidade de outra pessoa, é possível. Mas é uma escolha difícil. Muito difícil.

Muitos dirão que esta regra faz parte do capitalismo, que o mundo é assim e “quem não competência que não se estabeleça”. Tolice.
O mundo não surgiu capitalista, nem qualquer outro “-ista” por aí. Se não surgiu assim, não deixará de existir por falta dele.

Se você está cansado de ver gente na miséria injusta (sim, existe miséria justa…!), gente passando fome sem ter a mínima oportunidade de mudar este cenário, se está cansado de todas as mazelas espalhadas por este mundo causadas por uma longa história de injustiças, explorações e afins, faça o MÍNIMO que você pode fazer: SEJA DIFERENTE!!