Sabe o que a falta de opção faz? Faz você visitar um supermercado recém inaugurado na cidade.

Não que isso seja totalmente ruim. Geralmente o preço é bom e tem muitos itens em promoção. Não uma promoção que você fale “meu Deus, está quase de graça!” e sim “meu Deus, é o mesmo preço do supermercado em frente de casa, só que esse não foi contrabandeado!”.

Também serviu para eu reencontrar pessoas que normalmente eu não encontraria. Na verdade eu encontraria se, por algum motivo estranho, tivesse um ataque súbito de saudades e procurasse minha antiga lista de telefones. Mas algumas – principalmente uma garota de nome estranho – eu não faria mais questão de ver.

E serviu também para eu ficar pensando em quanto essa cidade falhou no quesito lazer para seus cidadãos. Justamente porque você pisa fora do supermercado e “ok, o que temos para fazer agora?”. Nada. Nadica. Não há mais opções. Teria o shopping, mas sempre que piso no shopping eu começo a pensar no quanto o comércio de rua falhou.

Pensando bem, eu tenho pensado demais.