Se tem uma coisa que eu descobri com o passar do tempo que eu gosto muito, é culinária. Além de culinária eu gosto de comer (meus 120kg não me deixam mentir).

Só depois de um pouco mais velho que comecei a dar importância a confecção dos alimentos, principalmente quando minha mãe começou a me ensinar a fazer comida, percebi que era divertido cozinhar e brincar com os sabores.

Há um programa que passa das 07:00 às 07:30 todos os dias no canal National Geografic, chamado Amantes da culinária, que fala sobre… Inclusive, acabou se tornando meu programa culinário favorito, e não ensina nenhuma receita! Simplesmente fala sobre comida de certas regiões e/ou estilos e nos mostram a história por trás de cada prato. Um dos episódios mais interessante que vi foi sobre a culinária toscana, vale a pena conferir.

A matéria história por si só já é interessante, já história sobre coisas que me interessam, é a melhor literatura que se possa imaginar. Tanto que de presente de aniversário, ganhei um livro sobre cupcakes, onde se conta a história da guloseima, a história dos ingredientes e várias receitas maravilhosas que um dia colocarei em prática (podem me dar mais livros sobre culinária!).

Penso em um dia fazer um curso gastronomia, faculdade ou cursinho ou algo do gênero, só para poder me aventurar com mais segurança, pois um dos medos que tenho ao cozinhar, é estragar comida. Jogar comida fora para mim é motivo de tristeza, seja pelos recursos que foram gastos para se ter aquele produto, pelo preço deles, por gente que passa fome e etc.

Então se preparem, que um dia vocês terão notícias sobre minhas investidas culinárias. Lembrando que no meu twitpic, tem algumas fotos das comidas que eu fiz. Destaque para a gelatina, totalmente intuitiva, sei que essa receita já deve existir, mas eu não olhei em lugar algum, apenas tive a ideia e fiz, graças ao inconsciente coletivo.