Eu amo gatos.

Porém odeio os meus gatos.

Pode até soar contraditório ou hipócrita, mas essa é a minha realidade.

Muitos diriam: Nossa, imagine quando você tiver um filho!

Para estas pessoas eu digo: Se eu tivesse filhos na idade dos meus gatos eles já saberiam ler, quiçá escrever alguma coisa, limpar a própria bunda, tomar banho sozinho, se comportar dentre outras coisas.

E temos outro agravante, imagine um amigão seu que teve um filho, e de repente precisa sair uns minutos, mas já volta para pegá-los. Só que eles já estão fora há 3 anos. Essa é a minha situação. Eu não pedi por isso, eu não escolhi ter gatos, não quis ter gatos, mas cá estão eles.

Infernizam a minha vida, sujam em cinco sefundos o que demorei um dia pra deixar em ordem. Quis matá-los diversas vezes, mas quem disse que eu consigo? Eles são muito lindos e fofos, apesar de tudo, e só mato por extrema necessidade, ou pra salvar minha vida ou pra não passar fome (o que não se aplicaria com os bichanos).

Enfim, eles para mim são caxumba. Não desejei ter, mas tenho e se não cuidar direito, desce pro saco.