@BetoPatux

A vida é feita de desafios. Todos os dias surgem mais desafios.

Há quem insista em não percebê-los. Lamentam uma vida de mesmice e marasmo, quando na verdade a vida lhes oferece inúmeros desafios diários. Mas, como não poderia ser diferente, mesmo os mais motivados às vezes vivem dias de desânimo e abatimento. O que os torna diferentes então? Eles reagem.

Hoje eu tive contato, mais uma vez, com a história de um homem que admiro. Talvez não como muitos o fazem, mas isto não me importa. Faço do meu jeito.

Toda minha vida busquei alcançar o meu melhor. Não melhor que você, que meu vizinho, que meu patrão. Busco, apenas, acordar o dia seguinte melhor do que acordei na manhã anterior. Foi assim durantes os estudos do colégio ao ensino médio. Foi assim no tempo que estive cursando a faculdade de Adminsitração, foi assim no meu casamento (finado casamento!), é assim na empresa que trabalho, é assim em tudo que escrevo, gravo e me envolvo.

Aprender. Crescer. Evoluir. Sempre.

Este homem que citei foi um exemplo em auto-crítica, auto-desafio, e para isto dedicava toda sua energia, concentração, empenho, foco. Sempre buscou ser o melhor naquilo que fazia, no caminho que trilhou. A cada momento ele buscava se superar, mesmo contra todos os contratempos, mesmo contra o “sistema”, mesmo contra forças que pareciam insuperáveis. Ele permaneceu lutando e evoluindo. Lutou à sua maneira a sua luta.

Foi um ídolos para muitos, porque não tinham outra opção, era o único que lhes dava alegria, um motivo para sorrir. Um ídolos para outros, que mesmo com outras centenas de opções para dedicar sua admiração, o escolheram como ídolo, referência de sucesso. Para outros, um herói.

Para mim? Um exemplo por sua trajetória, dedicação e competência.

Ao lado de Gandhi, Buda, meu pai, e alguns outros gigantes está ele, Ayrton Senna.

“Eu acho que se você está numa competição, como nas corridas, ou você dá o melhor de si ou desiste.” (Ayrton Senna, 1984)