– Isabel, por favor me escuta!

– Chega Agenor, não dá!

– Eu sei que poderia ter sido melhor, juro que nunca mais faço isso.

– É sempre assim, você faz burrada e depois vem com esse monte de flores de não sei onde. Para com isso.

– Eu vou morrer, vou me matar, vou ter um câncer com metástase instantânea e uma hérnia anal, só pra poder me redimir.

– Porra, Gê, não fala isso, mas isso não me deixa menos fula da vida.

– Tá bom, olha…

– Ah não, outdoor de novo não, só falta eu chegar em casa e minha calçada estar pixada no asfalto com nosso nome num coração, como da última vez.

– Ah, mas dessa vez pixei com spray dourado! Pra você ver como seu amor pra mim é precioso.

– Tá bom, Gê. Eu te perdoo, mas da próxima vez, deixa de ser exagerado, afinal, foi só meia hora de atraso.