Antigamente as mulheres menosprezavam os rapazes barbudos. Eles eram taxados de sujos e não tinham muita distinção entre eles e os mendigos. Sempre dava a impressão de ser uma pessoa suja, o que antigamente poderia até ser verdade e dependia do asseio do peludo em questão. O fato é que eu sempre gostei de usar barba, e um dos poucos tocos que ouvi na minha vida (sempre fui tímido, por isso poucos tocos = poucas tentativas) foi o de “Manda ele fazer a barba primeiro” e eu só estava de cavanhaque!

Hoje em dia é diferente, vejo em tudo que é lugar seja na tv, no cinema ou nas ruas os caras barbudinhos estão em voga. Nunca pensei que veria num seriado uma mulher se derretendo por um cara barbado, nosso presidente tem barba. Barba por fazer se tornou sexy e não mais desleixo. Tudo bem que uma barba à la Los Hermanos ainda assuste um pouco, mas ainda assim é uma barba formidável.

Hoje em dia então temos duas “facções” do mulheril:  As Peladistas e as Barbudistas. Isso acaba se aplicando também nos pelos corporais (peito, ombro, costas, etc) e pra quem, como eu que não é nem Tony Ramos e nem qualquer um desses meninos sem pelos, fica no no meio termo, é difícil se encaixar. Por isso agradeço aos céus por ter a namorada que eu tenho e ela gostar de mim com pelos medianos. Já a barba é algo a se trabalhar.