Tudo começou há um tempo atrás, na ilha do sol uns anos, mais precisamente no natal de 2006. Um recepcionista insatisfeito com sua escala estava no meio da madrugada natalina sem ter o que fazer, então resolve criar um blog. “- Todos hoje em dia têm um blog, porque não eu? Vou ficar rico *-* ”

Creio que muitos começaram seus blogs com um pensamento parecido como esse e pode até ser que alguns já estivessem familiarizados com o mundo dos diários virtuais (inclusive sabendo que não se trata só disso) e depois tomam um dos dois caminhos: ou desiste ou evolui. Muitos desistem.

Desde que comecei a brincar de escrever, acompanhei alguns blogs, uns com potencial que acabaram na velocidade com que foram criados e excluídos de forma meteórica e outros nem tão bons que perduram. Lia diariamente mais de 50 blogs sempre procurando novidades, criando contatos e amizades! Quem diria que amizades poderiam surgir desse mundo tão louco. Inclusive o pérfido ditador sacripanta dono deste blog eu conheci quando ainda tentava administrar o blog. Dá pra ver quem obteve maior sucesso.

No entanto eu não tinha noção de que para criar um blog, você precisaria (pelo menos os decentes) de um foco, layout e principalmente  um bom texto. Tudo bem que hoje em dia os mais famosos, top dos tops são os de que eu chamo de humor fácil: Aqueles que são feitas de imagens aleatórias da inetrnet ou por besteiras alheias por conta da inclusão digital. Não que seja fácil procurar tais imagens, editar fotos e fazer uma piada de duas linhas, mas não é o tipo de blog que eu queria fazer. Isso eu deixo para os profissionais.

Depois surge a dificuldade de manter uma peridiocidade satisfatória, os brancos criativos, falta de tempo e uma série de coisas que nos fazem perder a paciência ou até o tesão de postar. Quando você toma gosto pela blogagem o branco passa a ser o seu maior inimigo e você morre de medo que ele apareça. Chegando nesse estágio ou você apela para astais imagens risíveis ou entra em colapso e escreve qualquer coisa (leia-se merda). Por vezes substituindo seu blog por twitter e/ou tumblr.

Uma das soluções mais fáceis e legais que descobri para lidar com isso, foi participar de um outro blog. É muito bom ter um otário pra se preocupar com layout e correr atrás dos outros colaboradores que não postam (OIWag), assim sendo minha função é só escrever sem medo de ser feliz.

Agora a pergunta mais pertinente que já ouvi sobre blog é: Para que serve um blog?

Nem eu sei, sou um tanto egoísta nisso. Escrevo mesmo o que quero, quando quero e para mim. Não dou a mínima para o que acham (Sou hipócrita também, comentem nesse post *-*) e quero sempre melhorar, seja nos meus contos ou nos textos. Porém creio que um blog é um meio de comunicação muito versátil, pouco explorado apesar dos inúmeros que pululam na rede.

Este foi apenas um pequeno texto que me peguei a pensar no táxi voltando pra casa e que me deixou inquieto,talvez por eu não saber o que iria postar dessa vez.