Na minha mais recente incursão na selva das músicas perdidas, acabei encontrando esta pérola. A mais branca para ser mais exato.

Segundo a descrição no last.fm

“The Whitest Boy Alive é uma banda de pop minimalista, como eles mesmo se definem, baseada em Berlim, na Alemanha. O grupo começou em 2003 com a intenção de seguir um gênero musical exclusivamente eletrônico e hoje é uma banda sem nenhuma programação pré-gravada, apesar de ter algumas influências desse estilo em suas músicas.”

Idealizado por Erlend Øye que também é a metade do duo Kings of Convenience, o WBA mistura com maestria uma dose de eletrônico com um pouco de rock e disso sai essa sutileza que é a música da banda. O vocal parece um tanto quanto familiar às vezes parece a voz do vocalista do extinto Blur e em outras músicas um Chris Martin mais grave, lembra um pouco das bandas oitentistas (só lembra). Inclusive me lembra o estilo do CAKE em algumas canções e foge muito do óbvio nos arranjos. A primeira música do primeiro álbum é uma música perfeita para uma viagem no carro, combina com ambientes inóspitos e as outras músicas que se sucedem no disco são catalizadoras de emoções,sempre acabam por lembrar algum sentimento ou vontade.

Discografia:

Dreams (2006)

Rules (2009)

Integrantes:

Erlend Øye (vocal e guitarra), Marcin Öz (baixo), Sebastian Maschat (bateria) e Daniel Nentwig (teclado).

Aprecie com moderação:

Whitest Boy Alive – Burning

Whitest Boy Alive – Keep A Secret