Eu já tinha a sensação de que isso ia acontecer, cedo ou tarde. É como se você estivesse dirigindo um carro, percebe que a gasolina está acabando e você está, lenta e constantemente, em direção à um poste.

Você sabe que vai bater o carro, mesmo que a gasolina acabe, pois o carro continua em movimento. Você pode desviar, você pode pisar no freio, mas não faz.

lampada-apagada

Pois bem, acho que bati. Talvez a pancada eu sinta agora. O carro é a minha criatividade. E o poste é real.

Já faz um tempo que sento na frente do pc e tento escrever um texto realmente significativo. Talvez por que concentrar demais nas mudanças que minha vida está levando.

O que me deixa muito desanimado. Criatividade, cadê você? Antes eu tinha ideias tão boas, agora o máximo que consigo é uma tela branca no editor de texto.

Será que eu estou me pressionando demais? Forçar a criatividade pode ser um perigo. Será que criatividade é igual a sexo: é preciso deixar fluir? Ao mesmo tempo não quero deixar o blog as moscas. Quem me dera ter um talento bukowskiano, cujas palavras saem com a cerveja sai da garrafa.

Alias, acho que esse deve ser o pior momento para um escritor. A falta de ideias. Não que eu seja um escritor, estou longe disso. Mas consigo compreender melhor a situação.

Enfim, socorro.