Do mesmo que fiquei animado com Apenas o Fim, Besouro me despertou o interesse.

Cinema-arte é bom? Ô se é! Ver filmes sobre o nordeste, favela são bons também pois são realidades brasileiras que todos precisam ter conhecimento, para não ficar no seu mundinho fechado.

Mas convenhamos: isso cansa. Fica a impressão de que o cinema brasileiro fica preso ao triangulo “cinearte-favela-nordeste”. Precisamos de mais filmes, outras abordagens. Por isso Apenas o Fim me chamou a atenção: mostra mais uma realidade brasileira. Talvez mais próxima da minha, ainda não vi para ter total certeza.

E agora Besouro me chama a atenção por abordar esse lado mais místico do capoeirista Manoel Henrique Pereira, também conhecido como Besouro Mangangá. Capoeira, ótimas cenas de luta e misticismo: já está sendo conhecido como O Tigre e o Dragão brasileiro.

Confira o trailer abaixo:

Agora algo que eu sei que vai acontecer é várias pessoas reclamando do linguajar do filme. Essas pessoas precisam saber que na época as pessoas falavam assim. Mas isso é coisa de pessoas que adoram um #mimimi.