Em Portland (EUA) existe o WiMAX. WiMAX é uma conexão mega boa de internet wi-fi a um custo bem acessível. Internet rápida e estável. É só ter uma tecnologia que reconheça o WiMAX e pronto. Muitos notebooks e celulares já fazem isso. As vantagens de se ter uma internet próxima são bastante. Desde do mandar um email até achar um endereço, passando por um bate-papo ou algo parecido.

Aí você pode pensar: “internet rápida e estável por 30 doletas. Essa tecnologia deveria vir para o Brasil”. Acontece que ela já existe. Há uma empresa que oferece tal tecnologia, só que ela ainda está muito restrita a condomínios. Também existem projetos-pilotos em algumas partes do país.

O problema está sendo burocrático, ou seja, o governo está dificultando a implantação em larga escala. Ignorando o fato de que o usuário médio usaria para orkut-msn-putaria, pense nos benefícios reais que pode ter em locais como, por exemplo, uma favela.

Como isso seria possível? Em Parintins (AM) o WiMAX integrou escolas, bibliotecas e orgãos públicos. E na área da saúde, alguns médicos podiam interagir com médicos da Universidade Pública de Manaus e também realizar consultas a distância em tempo real e também no auxilio a diagnósticos.

Imagine essa possibilidade em uma favela: um posto de saúde com essa tecnologia poderia atender melhor os moradores. Não o atendimento ideial, mas com certeza seria um avanço.

Sou da opinião de que – se ignorarmos o usuário médio que acha que internet se resume a orkut-msn-putaria – a implantação de uma internet rápida e estável, com preço acessível é ótimo! E o Brasil que abra os olhos, pois nossos vizinhos já estão implantando essa tecnologia.

Para saber mais sobre o WiMAX, leia a reportagem que saiu no caderno Link dessa semana, no Estadão.