Alfredo é o nome do personagem do meu conto. Por mais que o nome seja de mordomo, ele já superou isso. E tem aproximadamente minha idade, talvez mais.

Mora em um apartamento em uma cidade média. Gostaria de morar em casa, mas por enquanto o dinheiro só dá para pagar o apartamento. Não, ele não paga aluguel. O apartamento veio de uma herança de um tio que ele nunca conheceu, mas sabia que era tio dele. Alias, ele nem sabia porque havia recebido aquela herança. Talvez por falta de opção. “Minha familia parece, as vezes, um grande dramalhão mexicano”, dizia ele.

E ele também é professor. Eventual. De Geografia. Mas consegue lecionar História, Sociologia, Filosofia numa boa. Consegue bastante aulas. O suficiente para viver e sobreviver. Para começo de carreira, está bom. Mas pretende crescer. Quem fica parado é poste.

O que realmente importa é que Alfredo é o personagem principal do meu conto e eu estou curioso para saber no que isso vai dar.