Quando falamos em política o que vem a cabeça? Porque a política é muito mais que isso. Em princípios, pois os sistemas não são ideais, mas sim reais, os gregos e os romanos acreditavam que a política trazia a boa vida (a justiça e o bem comum), para Maquiavel significa a tomada e manutenção do poder. Para nós ela pode ter três significados: concerne a toda sociedade, garantindo direitos e obrigações, cria espaços de contestações e define leis e costumes; algo que aparece distante da sociedade, uma vez que é uma atividade de especialistas e profissionais (os políticos); e como mal necessário, sendo um poder distante de nós e de interesses particulares. Assim, temos a política como intrínseca ao sujeito de forma ativa, externa a nós (sendo deles) e uma coisa diabólica.

A exclusão da vida política é algo sério, pois faz com que o indivíduo perca o sentido de responsabilidade social e julgue que não precisa participar das decisões que irão direcionar os caminhos das instituições do Estado como o legislativo, escolas, hospitais, políticas públicas e até mesmo do país.

A participação política não deve ser realizada apenas em épocas de eleições, para você apertar o botão com o número de seu candidato e pronto, não há mais com que se preocupar porque esse será o trabalho dele. Os problemas e as responsabilidades não somem após as eleições, eles continuam aí do seu lado e, principalmente, na sua frente. Não estou dizendo que precisemos estar na câmara dos vereadores todos os dias, mas que se pense que todas as nossas ações são políticas, até mesmo quem queira se ausentar de tudo, dizendo que não gosta de falar sobre esses assunto. Apesar de passivo, é uma escolha política.

Ao meu ver política concerne ao indivíduo que queira viver em sociedade, pois para o bem comum é necessária a convsersa, ouvir o outro, discutir e deliberar. Tenho muitos questionamentos quanto a isso, pois temos que pensar em realidades e não em idealizações. Por isso, acho que antes de pensar em acabar com esse sistema porque ele está podre, devemos pensar que quem compõe esse sistema somos nós e que se ele está podre é porque nós estamos podres. Assim, penso que devemos rever nossos conceitos do que é público, do que é político e do que é coletivo, pois sem eles não há sociedade.

ps: é muito diíficil para mim escrever textos como esse, porque minha argumentação ainda não é bem fundamentada. Queria pedir desculpas pela minha ausência, mas textos como esse não vem de uma hora para a outra. Ele não saiu exatamente como eu queria, mas enfim…estamos aqui antes de mais nada para debater.