Ao dizer que a Universidade é livre das influências políticas significa que o autor tem um ponto de vista, já que se trata de um ser humano e todo ser humano tem sua visão de mundo e um ponto de partida para as coisas. Mesmo que essa visão seja a mais bizarra, ainda assim é um pensamento.

A universidade não está e nunca esteve descolada da sociedade. Ela (re)produz as lutas de classe e as contradições sociais. Ela está inserida na lógica do mercado, produzinho conhecimentos, ciências e tecnologias como mercadorias. Para algumas ciências isso é a morte, pois elas não “fabricam” produtos que interessam ao mercado (como as ciências humanas).

O pior é que quando se explicita a relação entre o poder (política e economia) e saber (ciências e outros tipos de conhecimento) sendo uma relação de interesses imposta pela classe dominante, há pessoas que ficam chocadas. Para essas pessoas eu apenas lamento, pois é uma ilusão pensar numa universidade isolada.

Essa relação entre poder e saber é antiga, desde o século XVII com Francis Bacon  (“Saber é poder”), pode-se dizer, portanto, que essas pessoas que ficam espantadas  (cientistas, professores e aluno) estão no mínimo com uma falta de leitura histórica e filosófica importante.