Já não é novidade para muitos: em agosto foi lançada a edição zero da Turma da Mônica Jovem. É, a Turma da Mônica mesmo. Aquela turminha que mora no bairro do Limoeiro, que acompanhou minha vida desde que eu era apenas um criança. A mesma formula que funciona até hoje. Podemos dizer que só perde para Chaves, em termos de formula-que-dá-certo-e-que-agrada-qualquer-idade.

Sabe-se lá o que aconteceu com o Señor Maurício de Souza, que resolveu contar como será essa turma na adolescência. Por adolescência, entenda entre 17 e 20 anos. Não sei, ainda não vi integralmente.

Se o estilo gráfico fosse igual ao da Tina, Rolo e afins, tudo bem. O problema é que resolveram adotar o estilo mangá. Bem, não mangá propriamente dito, mas uma mistureba. Sabe aquele papo de manter o clássico mas colocar elementos de novidade… pois é.

Por que problema? Quem conhece mangá sabe que as mulheres são… ahn… hmm… cof, cof… bem, olhem a imagem abaixo e entenderão o que eu quero dizer.

Ainda não consegui me acostumar com a imagem da Mônica gostosa. Me junto ao time do Cardoso neste exato momento.