O que fazer quando você se dá conta de que seus amigos são, na maioria, virtuais. 99% deles, aproximadamente?
O que fazer quando até o garçom te ignora?
O que fazer quando sua matrícula dá problema e você vai dois dias seguidos na sua faculdade, para resolver o perrengue?
O que fazer quando aquela garota que você achava que estava te dando bola, bem, não está?
O que fazer quando você compra um headfone maneiro para usar na sua TV, e descobre a sua melhor TV não tem a maldita entrada para headfone?
O que fazer quando se tem a impressão de que todos te abandonaram? Inclusive seu mp3 player?
O que fazer quando quando o pão da sua padaria preferida está uma porcaria e a outra padaria é um tanto quanto longe para ir andando?
O que fazer quando você pega filas demoradas em todo lugar que vai?
O que fazer quando te bate a pior crise que você já teve?
O que fazer quando o espelho te odeia?
O que fazer quando você percebe que tem tanto charme quanto um cachorro defecando?
O que fazer quando você não acha ninguém, seja homem ou mulher, para ir em alguma balada, a 3 semanas seguidas?

Vai ao cinema, claro!

Não no da sua cidade, pois ele consegue te decepcionar e não tem sessões no horário que você deseja. O que fazer? Vai ao cinema da cidade vizinha. Gasta GNV, pedágio e o carilho-a-quatro só para ir ao cinema.

E quando você acha que finalmente alguma coisa vai sair como o previsto, não vai ter problema algum, bem… você olha para o ticket e realmente percebe que é sua vida está indo ladeira abaixo.

(BUSSULA?!?! Ah, meu, mas vá para a puta que pariu!)

E não me perguntem se a sessão foi boa.