Agora que já passou a agitação de Natal e tudo mais, começa outra Via Crucis: o Ano Novo. Mais precisamente as famosas promessas de Ano Novo.

Todo mundo já fez promessa de Ano Novo. Não digo promessas simples, mas promessas mirabolantes. Daquelas que é preciso uma grande dose de boa vontade para realizar. E desafio alguem a comentar qual fez. A minha, é óbvio, não vou contar.

Mas, enfim, o que importa é que ninguem realiza essas porcarias. E se você realizou, das duas a uma: ou você é excessão ou sua promessa não era mirabolante.

Depois de vinte e três anos fazendo promessas de Ano Novo e não cumprindo nem um terço delas, resolvi mudar. Afinal, se eu não aprendesse algo nesses vinte e três anos, poderia ser considerado um caso perdido. Nada de promessas mirabolantes, nada de promessas simples. A minha promessa de Ano Novo é a seguinte: nenhuma promessa.

Nenhuma promessa.

Não vou prometer nada. Nada mesmo. Assim não corro o risco de sofrer com a minha consciência judaico-cristã, chata demais. E esse papo de prometer que vai tentar dar o melhor de si é mentira. Isso não é promessa, é meta de vida.

E vocês, já pensaram em alguma promessa?

Feliz 2008 para todos! =D