Hoje eu, por motivos desconhecidos, dei uma folheada nas páginas de classificados de um jornal regional aqui.

Na verdade, eu olhei os classificados para passar o tempo. Minha aula começaria atrasada, então fui para a bliblioteca dar uma olhada rápida nos jornais. Mas ao invés de ver as manchetes do dia, resolvi olhar os classificados. O porque eu juro que não sei.

Vendo carro, troco carro, vendo terreno, alugo terreno, vendo casa, alugo casa. O básico. Só que começa a ficar mais interessante mais para o fim. Aparece classificados de pessoas oferecendo serviços.

Pedreiros, eletricistas, manutenção de computadores, empregadas domésticas, bufês. Toda uma variedade e gama de serviços terceirizados.

Até que me deparo com a parte de “acompanhantes”. Os anuncios nada tem a ver com aqueles que encontramos colados em orelhões das capitais. Ou seja, nada de “loira sexy, oral e anal”, “Japonesa seios fartos” ou “Morena jambo loucuras na cama. 20 reais”.

Não, nos classificados os textos são diferentes, mais elaborados, onde é preciso ler as entrelinhas: “Ruiva, ótima companhia, discrição, nível universitário“; “Moreno, excelente conversa, atencioso e educado. Nivel universitário“. Perceberam o nível universitário?

Pois é, queridos blá-bláistas. Nesse mundo capitalista e globalizados, só o famigerado 2º grau não adianta para mais nada. Nem para fazer sexo.