Alguns chamam sheesha (egípcios), outros nargileh (libaneses). Usada por séculos para afastar o stress do dia-a-dia, relaxando com amigos e parentes. A Narguila original veio da Índia, mas era bastante primitiva, feita da casca do coco. Sua popularidade se espalhou pelo Irã e então ao resto do mundo árabe. Mas foi na Turquia que a Narguila terminou sua “viagem”, e não mudou seu estilo nos último cem anos.

Infelizmente como outras das delícias do passado, a Narguila sofreu um declínio com a disponibilidade dos cigarros. Fumar Narguila não tem nada a ver com fumar um cigarro; cigarro é para pessoas nervosas, pessoas apressadas. Quando você fuma a Narguila, você tem o tempo para pensar. Ensina-lhe a paciência e a tolerância, além de possibilitar a apreciação de uma boa companhia. Os fumantes de Narguila têm uma visão muito mais equilibrada da vida do que fumantes de cigarro.

A fumaça é claramente muito mais suave do que a do cigarro. Com o uso, a água começa a ficar turva; isso baseado no fato de que a água filtra a fumaça.

A Narguila consiste em quatro partes: a parte de baixo é, normalmente, feita de vidro, onde colocamos a água. Esta peça é conectada a uma outra parte, de bronze, alta que é “o coração” da Narguila. Esta parte pode ser feita de aço inoxidável, ou outros materiais do tipo. É no Rosh, ou Hagar que colocamos o tabaco. A quarta parte da Narguila é o “lai”, a mangueira pela qual se fuma. A Narguila em si é feita de uma variedade dos materiais, que podem ser vidro, bronze, ouro, prata, madeira ou aço, é muito decorada.

Eu tirei esse texto do site: http://www.krafthaus.com.br/narguila

Aproveitei o carnaval e comprei um narguila na 25 de Março. Adoro aquele lugar. Dá para achar quase tudo e por um preço camarada. A minha até que é bonita, com o vidro transparente e detalhes dourados. Comprei o fumo de menta, que é delicioso. Por enquanto só essa, mas pretendo comprar mais.


E me perdoem por mais um post medíocre. Preciso melhorar meus textos, mas estou tão concentrado na leitura dos livros que peguei na biblioteca, que pouco tenho usado a internet. Proximo post vai ser sobre um dos livros que eu estou terminando de ler. Afinal, cultura também é blá blá blá.